ImpressaMídiaRBS

Sem passar fome

By 19/01/2011 fevereiro 25th, 2019 No Comments

Michelle emagreceu, perdeu medidas e recuperou a saúde

As palestras são realizadas com o tema específico e de acordo com o público alvo.

Nutricionista explica a importância de começar uma reeducação alimentar antes de chegar à obesidade.

sem_passar_fome

Não é só a imagem no espelho que agrada a auxiliar administrativa Michelle Rossmann da Silva, 34 anos. Com 13 kg a menos do que pesava no final de 2010, ela começou o ano com um humor renovado e autoestima nas alturas. Para reduzir o risco de doenças cardiovasculares e dar adeus a 20cm de abdômen, Michelle não precisou recorrer a nenhuma cirurgia plástica, muito menos passou fome.

A moradora de Canoas, que mede 1 metro e 55 centímetros, perdeu peso com disciplina, determinação e mudança de velhos hábitos alimentares. Ela despertou para a necessidade de parar de engordar quando já estava em um estágio de pré-obesidade.

— Já chegaram a me perguntar se eu não tinha feito lipoaspiração. Eu digo, “não, emagreci comendo banana com aveia” — brinca ela.

O bom humor foi uma das coisas que reconquistou. Segundo ela, também ganhou um marido mais satisfeito e uma mãe mais feliz com a sua nova condição.

— Estou apaixonada por mim — declara a auxiliar.

Michelle emagreceu comendo bem. Faz cerca de seis refeições ao dia. Para a nutricionista Aline Strunkis, que atende Michelle desde outubro do ano passado, ninguém precisa se arriscar com procedimentos cirúrgicos ou passar fome quando tem a possibilidade de emagrecer de forma natural e saudável.

— Em 30 dias, com certeza, uma pessoa pode perder mais de 7% de gordura, que é o que a lipo reduz, com uma dieta adequada e orientação de uma nutricionista. Não precisa sofrer, basta comer alimentos de qualidade, nas quantidades adequadas.

Mais massa muscular, menos gordura

Os resultados de Michelle apareceram nestes três meses mesmo sem praticar exercícios físicos. Com dificuldades de horários e falta de motivação para malhar, ela acreditava que não conseguiria emagrecer. Diversas vezes havia começado e abandonado a academia. Mesmo assim, só com mudanças na alimentação, segundo Aline, a composição corporal de Michelle passou de 46% de gordura para 29% e o peso magro (massa muscular) aumentou.

— Eu me conheço, achei que não iria conseguir seguir uma dieta, mas fiz em um ritmo tão agradável que acabei gostando — disse Michelle.

Apesar disso, os exercícios físicos são essenciais por uma série de outros benefícios que trazem para a saúde. Na terceira etapa da dieta, Michelle terá que deixar de lado a preguiça e encarar a academia. Mas mesmo sem treino, a auxiliar administrativa conseguiu perder gordura e ganhar massa muscular.

A nutricionista explica que uma alimentação hiperproteica, orientada por um profissional, e nas quantidades corretas, é capaz de causar esse efeito. O corpo gasta mais calorias para a fazer a digestão da proteína, que ainda ajuda no desenvolvimento dos músculos, evitando que a pessoa fique flácida.

Comer várias vezes ao dia, em poucas quantidades, é um dos segredos para acelerar o metabolismo. Cozinhar entrou na rotina de Michelle, assim como os legumes e as verduras:

— A minha alimentação antes da dieta era super errada. Eu comia muito doce. Era muito ansiosa e supria isso com o doce. Massas, lasanha, pizza e muita comida congelada também. Hoje eu não me privo totalmente dessas comidas, mas tenho uma postura diferente — conta.

— Quando tenho um evento, eu como minha comida antes de sair de casa. Assim, como bem menos fora e não fico fazendo desfeita. É uma mudança de comportamento e uma reeducação alimentar. A gente aprende a gostar.

Despertar antes da obesidade

Chegar a um estágio inicial de obesidade é fácil para quem tem tendência a engordar e não cuida da alimentação. Especialista do Centro de Obesidade e Síndrome Metabólica (COM), do Hospital São Lucas, a nutricionista Anália Barhouch , afirma que quanto antes a pessoa despertar para o problema, mais fácil é de resolvê-lo.

— O peso vem aos poucos e quando a pessoa se dá conta já ganhou muito — diz Anália.

A reeducação alimentar é a melhor saída para quem não quer sofrer as consequências de uma obesidade posteriormente. Fracionar as refeições, beber bastante líquidos e unir as proteínas e vitaminas aos carboidratos integrais é uma das recomendações. Anália alerta porém, que a orientação de uma nutricionista é essencial. Em casos de obesidade, o correto é buscar o auxílio de uma equipe multidisciplinar, que poderá dar um suporte amplo, físico e psicológico.

Fonte: Zero Hora | clicRBS
Data: 19/01/2011